Feliz 2015!!!!

30 de dezembro

Muito obrigado por sua companhia ao longo de 2014. Esperamos continuar fazendo parte da sua vida em 2015! Um Anovo repleto de realizações e conquistas a todos!

Equipe AUDILOG.

Advertisements

Dicas para facilitar a conversa com pessoas que possuem perda auditiva

dialogo6+cópia

  1. Fale devagar, sempre. Mas com naturalidade. Não adianta falar separando as sílabas ou articulando demais.
  2. Fale de frente para a pessoa com deficiência. Cada virada de rosto é uma sílaba ou palavra perdida que poderiam alterar completamente o sentido da conversa.
  3. O volume da voz deve ser de acordo com a perda de audição da pessoa. Comece falando com o tom de voz habitual. Se necessário, a pessoa te avisa que precisa que você fale mais alto, mais baixo ou mantenha do jeito que está.
  4. Surdos oralizados falam oralmente, tal como diz o nome. Nem todo surdo fala libras, muitos não apenas não falam a língua de sinais, como não tem interesse de aprender. Com eles, você pode falar normalmente.
  5. Para chamar um surdo, você precisa de algum sinal visual ou tátil. Você pode abanar as mãos, acender e apagar uma luz ou até tocar o ombro dele de leve.
  6. Não fale mastigando. Além de não ser educado, a mastigação é um ruído terrível na leitura labial (ruído no sentido semiótico de atrapalhar a comunicação) tornando os lábios ilegíveis. Não adianta insistir. Termine de mastigar e, só aí, conclua a conversa.
  7. A iluminação é um dos principais fatores do qual depende a leitura labial. Se a iluminação ambiente não for adequada, vale qualquer improvisação: isqueiro, lanterna e até a luz do celular.

Aparelhos Auditivos: vantagens & benefícios

siemens_pure_full1
A principal função do aparelho auditivo é aumentar a intensidade e tratamento da informação sonora para torná-la acessível ao seu usuário. É importante saber que ele não substitui a função de ouvir.

As dificuldades iniciais esperadas podem ir desde adaptação ao uso do molde, quanto a ruídos ambientais mais audíveis ou sobre o manuseio. Porém, tal desconforto é passageiro e frente aos benefícios conquistados, tornam-se insignificantes. Veja alguns desses benefícios:

Melhor discriminação de fala: o uso de aparelhos auditivos proporciona sensível melhora na compreensão de fala, gerando maior segurança ao paciente e, proporcionando, desta forma, maior participação do usuário em conversas, melhorando assim o relacionamento com os outros.

Melhor percepção sonora: os sons se tornam mais perceptíveis por parte do usuário, sendo possível reconhecê-los em diversos tipos de ambientes sonoros.

Maior atenção aos sons e às pessoas: o usuário de aparelhos auditivos se torna uma pessoa mais atenta aos sons e começa a fazer parte de conversas, fato este que, muitas vezes, não acontecia antes do uso do aparelho.

Melhor localização sonora (uso bilateral): o uso do aparelho proporciona melhor localização sonora, principalmente quando é adaptado nos dois ouvidos. O usuário é capaz de saber de que direção o som está vindo e, desta forma, se localizar melhor no espaço.

Mudança de comportamento: as pessoas que têm perda auditiva tendem naturalmente a se isolar do mundo e das pessoas devido à dificuldade auditiva que possuem. O uso do aparelho auditivo proporciona melhor relacionamento com as pessoas, já que os pacientes se tornam capazes, na maioria dos casos, de conversar em níveis normais com os outros, facilitando a comunicação.

Perda induzida por ruído

barulho-som-lesao-tontura-20110818-size-620

A Perda Auditiva Induzida por Ruído (PAIR) é um agravo frequente à saúde dos trabalhadores, estando presente em vários ramos de atividade profissional. Quando o ruído é intenso e a exposição a ele é continuada, em média 85 decibéis (dB) por oito horas por dia, ocorrem alterações estruturais na orelha interna, que determinam a ocorrência da PAIR.

Prevenção

A melhor maneira de prevenir futuros danos ao ouvido é evitar sua exposição ao som alto. Quando estiver assistindo televisão ou ouvindo MP3, tente não deixar o volume muito alto. Tente evitar atividades que possam danificar os ouvidos, como mergulho e o uso de remédios como a aspirina. Quando não for possível evitar lugares com barulhos excessivos, use protetor auricular. Um exemplo de lugares onde a proteção deve ser usada é quando utilizar ferramentas que fazem barulho excessivo.

Tabela de Ruídos do Dia-a-Dia

Tabela Barulho

O ruído é um som indesejado, cuja intensidade é medida em decibéis (dB). A escala de decibéis é logarítmica, de modo que um aumento no nível de som de três decibéis representa um aumento da intensidade de ruído para o dobro. Por exemplo, uma conversa normal pode atingir cerca de 65 dB e o nível atingido por alguém a gritar será de cerca de 80 dB.

A diferença em dB é apenas de 15 valores, mas a pessoa que grita atinge uma intensidade 30 vezes superior. A sensibilidade do ouvido humano em relação a diferentes frequências também varia; por conseguinte, o volume ou intensidade do ruído são normalmente medidos em decibéis com ponderação A (dB(A)).

A intensidade de um ruído não constitui o único factor que determina a sua perigosidade; a duração da exposição é também muito importante. Para considerar este factor, são empregues níveis médios de som ponderados em função da sua duração. No caso do ruído no trabalho, esta duração é geralmente de um dia de trabalho de oito horas.